Apostas a tempo parcial

Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Mulher é condenada por xingar vizinho de ‘preto ladrão’ no DF

A pena, fixada em um ano, seis meses e 24 dias de reclusão e 24 dias de prisão simples, foi substituída por duas restritivas de direito

Uma mulher foi condenada pelo juiz da Vara Criminal e Tribunal do Júri do Guará pela prática de injúria racial e contravenção de vias de fato, caracterizada por atos agressivos que não cheguem à lesão corporal, como empurrões, contra um vizinho. A pena, fixada em um ano, seis meses e 24 dias de reclusão e 24 dias de prisão simples, foi substituída por duas restritivas de direito, quando, ao invés de ficarem encarcerados, os condenados sofrerão limitações em alguns direitos para cumprir a pena.

A denúncia protocolado pelo MPDFT aponta que a ré, conscientemente, xingou o vizinho de “preto ladrão, bandido” e afirmou que ele “iria comprar todas as bananas da região”. Os fatos, segundo o Ministério Público, teriam ocorrido entre os anos de 2018 e fevereiro de 2019 em um condomínio no Guará II.

Em depoimento, a vítima contou que a mulher teria lhe dado um soco no momento em que ele tentava intervir em uma briga. O MPDFT pediu a condenação da ré pela prática de crime de injúria racial, por diversas vezes, e da contravenção penal de vias de fato.

A defesa da condenada solicitou a absolvição por falta de provas. Ao analisar o caso, no entanto, o magistrado observou que tanto a autoria quanto a materialidade dos crimes de injúria racial e vias de fato estão comprovadas pelo boletim de ocorrência e pelos depoimentos das testemunhas. No caso, segundo o juiz, as provas demonstram que a ré proferiu ofensas de cunho racista contra a vítima em pelo menos duas ocasiões e na presença de outras pessoas.

“A vítima foi ofendida em sua dignidade e decoro, comutilização de expressões referentes à raça, cor e etnia, expressões estas com notória conotação de discriminação racial, tais como preto safado, bandido, macaco, crioulo e outros impropérios de cunho racista”, registrou. O julgador explicou que “a injúria qualificada se caracteriza exatamente em razão da ofensa ter sido praticada com o emprego de expressões que buscam menosprezar a vítima em razão de sua origem étnica, raça ou cor da pele, e afetam a sua honra subjetiva”.

Dessa forma, a ré foi condenada a um ano, seis meses e 24 dias de reclusão e 24 dias de prisão simples, em regime inicial aberto, e multa. A pena privativa de liberdade foi substituída por duas restritivas de direito, sendo que uma delas pelo menos deve ser de prestação de serviços à comunidade.

Cabe recurso da sentença.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar



JBr SHOPPING

BSB Memo

Use o código "JBR" e ganhe 10% de desconto

| Apostas Futebol | | Bacará Online | | Probabilidades de apostas de futebol online | | Apostas internacionais de futebol | | Programa de renda online | | Apostas móveis | | Campeonato brasileiro de futebol | | As apostas mais confiáveis na loteria | | Onde apostar em jogos de futebol | | AFUN - Apostas de futebol online | | Dicas de apostas grátis futebol | | Mega Sena | | Sites de apostas mais seguros | | Cassino Online | | Mercado do Futebol - Contratações, notícias, rumores e informações num só local! | | Blackjack para Android | | Melhores sites de poker no Brasil | | Roleta da sorte | | Como apostar em futebol | | Jogue Blackjack Online Grátis | | Bet with bet365 | | Site de aposta de jogos | | Apostas Online Futebol | | dinheiro líquido | | Ganhar dinheiro com moedas criptográficas | | Jogo do flamengo | | Bundesliga | | Aplicações para fazer dinheiro | | Caça-Níqueis Online | | Renda on-line de comércio eletrônico |